quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Escolhendo escolher

"Você faz suas escolhas e as escolhas fazem você"
(Shakespeare)

Eu escolhi não casar, fazer jornalismo, ter um sofá-cama vermelho, cabelos cacheados e chinelo de dedo. Escolhi escrever à lápis, desligar o celular ao dormir e ler livros de romance. Escolhi arroz à grega, feijão preto e suco de laranja pela manhã. Escolhi comprar uma bicicleta de cestinha, bolsa retornável e caderno de folhas recicláveis. Escolhi tomar chá de erva-doce ao entardecer. Escolhi dormir até tarde aos domingos. Escolhi, enfim, escolher.

Nós somos responsáveis pelas nossas escolhas, certo? Vem da mesma ideia de que somos responsáveis pelos nossos atos. É fato. Mas por que você insiste em opinar nas minhas escolhas, hein? Por que te incomoda tanto que eu tenha escolhido morar no quinto andar de um prédio sem elevador se sou eu que desço as escadas? Você nem me visita e isso te incomoda tanto? É incrivel essa mania que as pessoas têm de fazer escolhas por nós. Isso começa com os pais: que preferem que os filhos sigam tal carreira ou que namorem o filho de fulano de tal que é mais certinho. Pura satisfação pessoal. Filhos que preferem suprir os sonhos não concluídos dos pais são profissionais frustrados ou vivem um casamento infeliz.

Decisões são difíceis, no entanto uma vez tomadas permanecem por toda nossa vida, por bons resultados ou cicatrizes. E principalmente por experiências, baseadas nos erros que vemos ou vivenciamos. Essas mancadas vem das escolhas erradas que fazemos. É inevitável, porém ao mesmo tempo é incrível o quanto amadurecemos e nos formamos a partir de nossas escolhas.

O pronome no plural já expõe a ideia possessiva: nossas. Ou seja, nossas escolhas formam nossa personalidade, o nosso quem sou eu.


Lorena Morais
  • Querido leitor, boas escolhas para a construção de você mesmo!


11 comentários:

Márcio Vandré disse...

Escolhas e caminhos.
Estradas sem volta...
Horizontes plenos e doces, nem sempre.
Presente que se tornará futuro.
Tem vezes que precisamos só sentar e ver o sol descer.

Lorena, passando aqui para agradecer o seu comentário.
O bom que me deparei com uma ótima reflexão.
Um beijo, voltarei.

[ rod ] ® disse...

Somos sim responsáveis pelas nossas escolhas... não há como correr disto. Nem também podemos correr da idéia de que não fazer nada é tolice... sentar e esperar as decisões que somente nós podemos tê-las é acreditar em sutil ilusão...

Bom ter chegado aqui moça... ainda mais revendo, pela sua óptica, a terra querida.... bjs.

Daniel disse...

Lorena, eu achei você sem querer enquanto estava lendo o blog do Rodolfo (nosso amigo blogueiro acima de mim no comentário) e li sua postagem e achei muito boa.

Realmente é complicado lidar com isso, ainda mais para mim que não costumo dar palpites na vida dos outros.

E realmente tem razão quando diz que muitas vezes nossos pais querem para gente aquilo que não conseguiram para si, ou quando querem algo melhor sem saber exatamente o que é bom pra gente.

Essa postagem me lembrou uma música que fiz junto com um amigo meu a uns 16 anos atrás que se chamava SOCIEDADE ANTI-SOCIAL e uma parte da letra dizia "que nós só nascemos para sermos o que os nossos pais não foram. Porque? Para quem? Me deixa viver minha vida".

Beijos

Macaires disse...

Olá, Lorena, adorei seu texto e também o seu espaço!
Concordo que cada um tenha o direito de fazer suas próprias escolhas e também acho que você escolheu bem as suas!

Beijo!

O Outro Olhar. disse...

Eu escolhi morar no interior, cantar músicas que toquem a alma e curtir nossa cultura.
Eu escolhi viver e ter um filho lindo com a pessoa que amo.

Valeu Lorena, apareça.

Fernanda. disse...

Eu escolhi mudar de rumo e falar pra minha mçae que eu não queria mais medicina. Escolhi também não sofrer por quem não vale a pena e a proveitar o que tenho agora. Por enquanto, essas escolhas tem me feito feliz.

:D

Lindo texto.
Beijão

Teórico disse...

Legal seu texto. Somos os únicos responsáveis por nossas escolhas, no momento em que escolhemos um caminho a percorrer, deve-se automaticamente abrir mão de todos os outros e saber, que nesse caso, os atalhos, são mais longos do que se parecem.

Eu fiz escolhas erradas e certas ao longo da minha vida, algumas deixaram marcas profundas pro bem e pro mal, mas todas me ensinaram alguma coisa. Acho que no fundo o mais importante é isso, aprender com cada escolha, cada caminho...

Beijos.

Cristiano Contreiras disse...

Sou fã dessa menina, texto intenso!

Cristiano Contreiras disse...

Imitona, pegou o meu 'poderá também gostar de', do Apimentário! rs

Mariana disse...

Lorena que gratificante descobrir o teu blog, o que tu pensas.
Gostei muito.
Devemos fazer nossas escolhas e q estas sempre estejam acompanhadas da busca para a nossa felicidade e do respeito ao próximo.
Adorei estar aqui.
Bom findi.

vanessacamposrocha disse...

coragem é a ação do coração. é preciso ter coração para escolher... o que acha?
adorei!]abraços

Related Posts with Thumbnails